Ex-diretor de robótica da Google desenvolve robô que se encarrega de tarefas domésticas. Foto: Youtube
Ex-diretor de robótica da Google desenvolve robô que se encarrega de tarefas domésticas. Foto: Youtube

Nos últimos três anos, uma equipa liderada por Aaron Edsinger, ex-diretor de robótica da Google,trabalhou secretamente num robô auxiliar, que se encarrega de algumas tarefas domésticas.

Recentemente, nasceu o Strecht, o robô tem um braço robótico, que pode estender-se ao longo de 52cm, está unido a uma base com rodas, muito semelhante a um robô aspirador. A máquina, que recebeu este nome graças ao seu “alcance extraordinário”, pode ser programada para realizar algumas tarefas domésticas, como tirar a roupa da máquina de secar, guardar coisas ou aspirar a casa.

+ Raro Rolex Daytona ‘John Player Special’ 6264 pode chegar a mais R$ 5 milhões
+ Acusado de agredir mulheres a socos em Diadema é detido
+ Moedas comemorativas são lançadas para a reabertura da Grande Mesquita de Santa Sofia
+ Herman Miller e Logitech, lançam cadeira ergonômica para ficar horas jogando sem sentir dor

Ex-diretor de robótica da Google desenvolve robô que se encarrega de tarefas domésticas

Ex-diretor de robótica da Google desenvolve robô que se encarrega de tarefas domésticas. Foto: YoutubeAlém disso, o robô, de 141 centímetros de altura e 23 kg, possui uma câmara 3D, um telémetro a laser e um computador embutido com cérebros de processamento Intel Core i5, 16 GB de RAM e 500 GB de armazenamento SSD.

Apesar de já ter um custo definido de U$ 18 mil, o robô ainda não está pronto para entrar no mercado. Para o criador Aaron Edsinger, falta aprimorar funções e adicionar algumas melhorias.

Ex-diretor de robótica da Google desenvolve robô que se encarrega de tarefas domésticas. Foto: Youtube
Ex-diretor de robótica da Google desenvolve robô que se encarrega de tarefas domésticas. Foto: Youtube

Segundo entrevista ao Daily Mail “O design permite várias aplicações, como ajudar uma pessoa idosa em casa” . Pode, também, ser uma valiosa ajuda para guardar coisasnas “prateleiras de um supermercado ou para remover superfícies potencialmente infecciosas no local de trabalho”. No fundo, trata-se de “uma plataforma que oferece a investigadores um novo horizonte no futuro”.

Em parceria com o site TechBreak