Geisy Arruda sobre cancelamento: “Eu lido com os haters desde que me entendo por gente”

233
Geisy Arruda sobre cancelamento: “Eu lido com os haters desde que me entendo por gente” (Foto: Reprodução/Instagram)
Geisy Arruda sobre cancelamento: “Eu lido com os haters desde que me entendo por gente” (Foto: Reprodução/Instagram)

Desde que foi “cancelada” há 11 anos por usar um mini vestido rosa na faculdade, Geisy Arruda sabe o que é lidar com haters. Em entrevista à revista Quem, afirma que tudo o que aconteceu a formou como a mulher que é hoje.

+ Geisy Arruda posa empinando o bumbum na praia e impressiona
+ Ex-BBB Victor Hugo desabafa sobre cancelamento: “Já passou dos limites”
+ Influencer recebe multa do condomínio pelo uso de “roupas inadequadas” nas áreas comuns
+ Juju Salimeni fala sobre crises de ansiedade: “É a pior sensação do mundo”

“Costumo dizer que inventei o cancelamento. Fui cancelada 11 anos atrás por usar uma roupa curta em uma faculdade. Eu lido com os haters desde que me entendo por gente. O dia em que todas as pessoas me amarem, acho que não vai ter muita graça. Os haters me fizeram uma mulher independente e empoderada. São um mal necessário”, explicou Geisy, que deu a volta por cima e usou de sua visibilidade para colher bons frutos.

“Quando você se torna uma pessoa pública, isso te remete a coisas boas, você consegue bons cachês e trabalhos. A visibilidade, quando bem usada, pode ser positiva e lucrativa”, acrescentou a modelo.

Atualmente, ela trabalha com contos eróticos. “Eu costumo brincar que acordo e durmo pensando em putaria. Tenho um olhar clínico, vejo algo e digo: ‘gente, isso renderia uma boa putari*a. Desde uma praça a um restaurante, uma esquina a uma árvore um pouco torta. Gosto de histórias picantes, umas são inventadas, outras são reais, de vivências minhas. E eu ganho dinheiro com isso. É divertido trabalhar com o que você gosta. As coisas ficam mais fáceis e a vida mais leve quando você fala e gosta de sexo”, disse.

Mas, garante que não está rica. “Tenho dois apartamentos e um dinheiro guardado. A pandemia já mostrou que ter muito dinheiro não é sinônimo de ter saúde, paz e ser feliz. Então, eu prefiro ter o necessário para fazer as coisas que gosto, estar com as pessoas que amo, viajar, comer as comidas que quero. Riqueza pra mim hoje é ter saúde”, concluiu Geisy.