Pais matam as 2 filhas para provar que elas voltariam a vida

6585

Fontes policiais disseram que o casal também planejava se matar para provar que voltariam a vida, mas a chegada dos policiais evitou o possível suicídio.

Em um incidente bizarro, um casal altamente educado supostamente matou suas duas filhas na casa dos 20 anos no distrito de Chittoor, em Andhra Pradesh, na Índia, esperando que elas voltassem à vida poucas horas epois devido ao poderes espirituais quando o Kaliyuga terminar, transformando-se no Satya Yuga (Satya Yuga foi a era em que, segundo os hindus, a mentira e o mal não eram conhecidos, sendo que apenas a bondade e a virtude era prevalecente), disse a polícia na segunda-feira.

+ A Pesquisa Google tem um novo design para celular – veja as diferenças
+ Primeiro pigmento azul descoberto nos últimos 200 anos é vendido a mais de R$ 1 mil o tubinho
+ Atriz e modelo sul-coreana Song Yoo-jung morre aos 26 anos

Na verdade, o próprio homem teria ligado para um de seus colegas logo após o incidente na noite de domingo e divulgado os assassinatos.

O colega chocado imediatamente avisou a polícia, que correu para a casa do casal e os encontrou em transe.

A polícia suspeita que a família aparentemente segue certas práticas ocultas há algum tempo.

De acordo com o vice-superintendente de polícia de Madanapalle, Ravi Manoharachari, foi a mãe quem espancou as filhas até a morte.

Uma das filhas foi também torturada antes de ser morta, disse ele.

O homem permaneceu como um espectador enquanto sua esposa relatava os supostos assassinatos.

A filha mais nova foi morta primeiro usando um tridente.

Então, a mais velha foi espancado com um haltere.

Fontes policiais disseram que o casal também planejava se matar para provar que voltariam com vida, mas a entrada oportuna de policiais evitou o possível suicídio.

V Purushottam Naidu, M.Sc, PhD, trabalhou como professora associada no Government Women’s Degree College em Madanapalle. Ele também era o vice-diretor da faculdade.

Sua esposa Padmaja, pós-graduada, era correspondente e diretora de uma escola particular local.

A filha mais velha, Aleikhya (27), estava fazendo pós-graduação em Bhopal, enquanto a mais nova, Sai Divya (22), estava no Conservatório de Música KM de AR Rahman.

As filhas estavam hospedadas com os pais desde o bloqueio induzido pelo coronavírus.

Segundo a DSP, a família aparentemente “transcendeu os picos do espiritualismo”, passando por sua interação.

“Eles nos pediram para esperar um dia enquanto suas filhas voltariam à vida”, disse ele.

Manoharachari disse que a família era bem educada, mas se perguntou por que eles recorreram a tal ato.

A polícia deteve o casal em sua casa e começou a questionar enquanto equipes forenses examinavam as imagens do circuito fechado de televisão para estabelecer se outra pessoa também estava envolvida nos rituais espirituais praticados pela família.

Os corpos das vítimas foram removidos para autópsia, enquanto a polícia iniciou uma investigação sobre o caso.

Fonte: Telanganatoday