Anak Krakatoa, que surgiu após a erupção de 1883. Foto: Wikipedia
Anak Krakatoa, que surgiu após a erupção de 1883. Foto: Wikipedia

O vulcão Krakatoa, na Indonésia, cuja erupção no final de 2018 provocou um tsunami que matou 430 pessoas, voltou a entrar em erupção esta sexta-feira (10). Até ao momento não há notícias sobre vítimas.

O Krakatoa, na Indonésia, entrou em erupção, expelindo uma coluna de cinza com 500 metros de altura, na maior erupção desde a que causou um tsunami em 2018, matando centenas de pessoas.

+ Barulho no céu é ouvido em vários locais e assusta internautas: ‘apocalipse?’
+ A maior Super Lua do ano é na próxima semana
+ Modelo de fitness russa polemiza depois fazer biquini de máscaras medicinais em meio à pandemia de coronavírus

O circuito fechado de televisão do Centro para a Mitigação de Desastres Vulcanológicos e Geológicos da Indonésia mostrou as emissões de lava na sexta-feira à noite.

Segundo o centro, o vulcão esteve em erupção contínua até à manhã deste sábado, tendo sido emitido um alerta de nível 2, o segundo mais alto numa escala que vai até quatro.

Até ao momento, não existem relatos de vítimas. A erupção de 2018 provocou um tsunami nas costas de Sumatra e de Java, matando 430 pessoas.

O Anak Krakatoa, que significa “Filho de Krakatoa”, é o descendente do mítico vulcão Krakatoa, cuja erupção monumental em 1883 desencadeou um período de arrefecimento global.

Krakatoa 1883

No dia 26 de agosto de 1883 aconteceu aquela que terá sido a 2.ª erupção vulcânica mais fatal da História e a 6.ª maior erupção do mundo. Simon Winchester descreveu o evento no seu livro cujo título diz tudo: Krakatoa: The Day the World Exploded (Krakatoa: O dia em que o mundo explodiu). A erupção mudou toda a geografia local, baixou a temperatura global mais de um grau e deixou a Terra meio às escuras (com mudanças no nascer e pôr do Sol) durante 18 meses, mudando o planeta. As consequências ainda hoje são estudadas pelos cientistas.

Cientistas afirmam que a nova formação (vulcão) Anak Krakatoa pode ser ainda muito mais poderosa que o antigo Krakatoa. Com a antiga explosão, os três montes foram transformados em um só, criando uma caldeira que chega a 50 km subterrâneos, um gigantesco depósito de lava.