Após Antônia Fontenelle ser acusada de xenofobia, Juliette se pronuncia: ‘isso machuca’

353
 Após Antônia Fontenelle ser acusada de xenofobia, Juliette se pronuncia: 'isso machuca' (Foto: Reprodução/Instagram)
Após Antônia Fontenelle ser acusada de xenofobia, Juliette se pronuncia: ‘isso machuca’ (Foto: Reprodução/Instagram)

Após usar a palavra “paraibano” como um adjetivo negativo, Antônia Fontenelle, foi acusada de xenofobia nesta segunda (11). Juliette Freire, campeã do Big Brother Brasil 21 e paraibana, se manifestou sobre o assunto sem mencionar nomes.


+Ator da série “Peaky Blinders”, é encontrado morto dentro de casa
+Juju Salimeni sobre ansiedade: ‘trato há mais de 10 anos com remédio’
+Marília Mendonça critica aumento de seguidores de Dj Ivis: ‘não faz sentido’
+Nayara Vit, modelo brasileira de 33 anos morre no Chile após cair do 12º andar

Essa não é a primeira vez que eu escuto alguém usar o termo ‘Paraíba’ de forma pejorativa. Paraíba é o estado, nós somos paraibanos. Se você quer usar um termo ruim, use agressor, criminoso”, começou ela em um vídeo compartilhado em seu story do Instagram.

Procure qualquer outro, isso não é brincadeira, isso não é leve, isso machuca e reproduz um discurso de ódio e xenofóbico. ‘Ah, foi sem maldade’. Pouco importa. É sem maldade, mas machuca”, concluiu ela.

Juliette também usou a sua conta oficial do Twitter para se manifestar: “Não é força de expressão, é xenofobia. Não existe “ser Paraíba” e “fazer paraibada”. Existe ser PARAIBANA/O, o que sou com muito orgulho. Tire seu preconceito do caminho, que vamos passar com a nossa cultura e não vamos tolerar atitudes machistas e xenofóbicas de lugar algum”, escreveu.

No vídeo, criticado, feito por Antônia Fontenelle, ela tenta se explicar. “Esse bando de desocupado, da máfia digital, que não tem nada o que fazer, se juntaram para me acusar de xenofobia. De novo? Isso não cola mais. Eu falei que ‘esses paraíbas começam a ganhar um pouquinho de dinheiro e acha que pode tudo’. Com paraíba, eu me refiro a quem faz ‘paraibada’, pode ser ele sulista, nordestino, o que for’. É uma força de expressão”, disse.