Com prisão decretada por não pagar pensão, André Gonçalves curte hotel com diárias de até R$ 12 mil

57
Com prisâo decretada por não pagar pensão, André Gonçalves curte hotel com diárias de até R$ 12 mil. Foto: Reprodução Instagram
Com prisâo decretada por não pagar pensão, André Gonçalves curte hotel com diárias de até R$ 12 mil. Foto: Reprodução Instagram

O ator André Gonçalves viajou junto com a atual esposa Danielle Winits para Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, para celebrar o Ano-Novo. O ator e a mulher, compartilharam imagens deles no Hotel Fasano. De acordo com cotação realizada nesta segunda-feira (3), o hotel cobra diárias de até R$ 12 mil. O artista teve a prisão decretada em novembro por não pagar a pensão de R$ 4,5 mil das filhas.

+ Márcia Bonde, irmã de Juliana Caetano mostra retrospectiva ousada de 2021
+ Aline Campos (ex-Riscado) celebra primeiros dias do ano com foto de tirar o fôlego
+ Vídeo: Apresentador do SBT desmaia ao vivo após ter mal súbito durante telejornal
+ Luciana Gimenez curte viagem romântica em Trancoso com novo namorado

No instagram, foi Danielle Winits quem postou vídeos e fotos da viagem em família. Os dois filhos de Danielle — de relacionamentos anteriores — e amigos dos casal também viajaram. André ainda publicou uma foto ao lado do enteado caçula, Guy. “Gratidão. Feliz 2022 para todos”, escreveu o ator na legenda.

No dia 23 novembro de 2021, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina decretou a prisão domiciliar de André Gonçalves devido ao não pagamento de pensão à filha de 18 anos, Valentina, fruto do relacionamento do artista com a apresentadora Cynthia Benini. Segundo informações do quadro da TV Record , A Hora da Venenosa, o ator estaria devendo mais de R$ 350 mil. O famoso teria deixado de pagar o valor mensal de R$ 4,5 mil.

O ator se defende dizendo que ele não pode cumprir com os pagamentos por estar desempregado. A defesa de Cynthia Benini, contesta a afirmação de desemprego. “O desemprego formal, por si, não exime o responsável do pagamento dos alimentos aos filhos. No caso em comento, o desemprego alegado expressa, apenas, parte da verdade dos fatos.”