Um novo ciclone bomba está em formação no Sul do país. Mas, diferentemente do fenômeno que causou mortes e destruição em julho no sul do país, o novo ciclone irá ocorrer longe da costa, o que diminui a chance de se repetir a catástrofe anterior.

+ Bom Dia Brasil perderá 30min para a volta de Ana Maria Braga a grade da Globo
+ Parrerito, cantor do Trio Parada Dura, morre após complicações causadas pelo covid-19
+ Aulas presenciais nas escolas particulares do Rio devem começar hoje (14)
+ Maurício Manieri sofre infarto e é internado em UTI de um hospital em São Paulo
+ “Véio da Havan pediu minha cabeça”, disse Rachel Sheherazade sobre saída do SBT

À CNN, o meteorologista André Madeira, da Climatempo, explicou que o ciclone está em alto-mar e não provocará ventania na mesma intensidade da ocorrida em julho, quando a velocidade dos ventos chegou a 120 km/h.

“Vai provocar rajadas de moderada a forte, especialmente no extremo sul e leste do Rio Grande do Sul e também no leste de Santa Catarina. A gente espera rajadas entre 70 km/h a 80 km/h”, classificou, frisando que “não veremos imagens tão duras” como em julho. “A influência sobre o continente é mais leve.”